Publicidade
|
Policial

Dono de bar é assassinado com seis tiros na cidade de Alagoinha, na região metropolitana de GBA
12.01.2017 enviado às 02:00
Texto:
Vítima teria sido assassinada com pelo menos 6 tiros (Imagem: Da Net)
ALAGOINHA (PB) - Acabou de chegar à nossa redação (22:20h) a informação de que um homicídio foi registrado na noite desta quarta-feira (11), na periferia da cidade de Alagoinha, na Região Metropolitana de Guarabira, no Agreste paraibano.
 
De acordo com as primeiras informações, um homem identificado até o momento como “Neném de Jorge”, que também trabalhava como mototaxista, foi assassinado num bar de sua propriedade, que fica localizado na “Coréia”, próximo ao trevo que fica na saída de Alagoinha para Mulungu,
 
Outra informação dá conta de que a vítima foi alvejada com pelo menos 6 disparos de arma de fogo.
 
Ainda não temos outros detalhes sobre o assassino, nem qual foi o motivo do crime, mas a polícia já trabalha para tentar identificar e prender o mesmo.
 
Do Portal Mídia com Fato a Fato
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»Polícia investiga tentativa de fuga em presídio de João Pessoa

»VIOLÊNCIA NO BREJO! "Madona", homossexual de Duas Estradas, é assassinado em GBA; PM prende acusado

»Homem morre após ser agredido com golpes de pá e vaso sanitário em Campina Grande

»VIOLÊNCIA! Inspetor da Secretaria de Segurança da PB é assassinado em frente à condomínio, em JP

»VIOLÊNCIA NO BREJO! Homem é morto a pedradas durante a madrugada na Paraíba; suspeito fugiu

»Preso corta os pulsos, vai ao hospital e foge em Alagoa Nova, na Paraíba

»Universitários são detidos cultivando maconha em jarros dentro de condomínio em JP

» MAIS VIOLÊNCIA NA PB! Suspeito de tráfico executado em CG; Homem é morto com tiros em Umbuzeiro

»Dois homens são assassinados a tiros em cidades do Agreste da PB

»Homem tenta assassinar ex-companheira a tiros e depois se mata, em CG

 
 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas