Publicidade
|
Política

Cássio pede que Paulino e Toscano revejam conceitos e pensem em projeto maior para Guarabira.
12.01.2017 enviado às 23:14
Texto:
GUARABIRA (PB) - O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), em entrevista ao Programa Espaço Aberto da Rádio Cultura de Guarabira, na manhã desta quarta-feira (11), foi questionado sobre as alianças políticas no Brejo e na Paraíba.
 
Na oportunidade, Cássio fez referências ao município de Guarabira e pediu aos líderes políticos da cidade que revisem seus conceitos e pensem num projeto maior para a cidade.
 
O PMDB de Guarabira é liderado pelo ex-governador Roberto Paulino. Já o PSDB tem como líder o atual prefeito Zenóbio Toscano. O senador tucano se referiu a um possível acordo político em nível municipal.
 
Sem chances - O deputado Raniery Paulino disse não ter richa pessoal com o prefeito Zenóbio Toscano, nem com seus liderados, mas não aceita, por hipótese alguma, qualquer espécie de aliança política com o atual gestor e grupo partidária em Guarabira. 
 
Do Nordeste1 com Fato a Fato
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»Imprensa divulga voto dos deputados da PB no projeto de terceirização

»Vídeo: posição cobra posição do governo sobre reforma da Previdência

»VÍDEO! Secretário do PT fala de gastos do evento de Lula em Monteiro

»Em pré-campanha presidencial, Alckmin quer visitar a Paraíba

»Governador diz que adversários são capazes até de matar Lula

»VÍDEO! Ricardo diz que quanto mais batem, mais Lula cresce

»Lula inaugura Transposição e diz que se for candidato é para ganhar

»Paulino diz o que defenderá na reunião do PMDB, dia 27 de março

»EXCLUSIVO! Saulo terá cargo na JPMDB da PB e Maria Thereza é confirmada na Presidência em GBA

»EXCLUSIVO! Vereador vai assumir comando da Juventude do PMDB da cidade de Guarabira

 
 
 
Editorial do dia

Muita política, poucos resultados

Não fosse Francisco Sarmento um dos mais respeitados especialistas em recursos hídricos do País, conhecedor profundo do projeto da transposição do São Francisco do qual foi consultor, seria difícil acreditar na avaliação que fez em entrevista a Hermes de Luna, no “Debate” da TV Correio: por conta de problemas na obra, e mantido o atual ritmo de liberação, as águas só chegarão a Campina em cinco anos.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas