Publicidade
|
Saúde

Meninos se vacinarão contra HPV no SUS; veja mudanças na vacinação
03.01.2017 enviado às 12:21
Texto:
BRASÍLIA (DF) - Meninos de 12 a 13 anos já podem receber a vacina contra o vírus HPV pelo SUS em postos de vacinação de todo o Brasil, anunciou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (3). A inclusão desse grupo tinha sido anunciada em outubro de 2016, mas só entrou em vigor agora, em janeiro de 2017.
 
Estudos feitos em outros países que já adotaram a vacinação de meninos mostram que a inclusão dos meninos contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino.
 
Além disso, os próprios meninos serão beneficiados, já que a vacina protege contra câncer de pênis, garganta, ânus e verrugas genitais, problemas também relacionados ao vírus.
 
Brasil é sétimo país a incluir meninos
 
A vacinação contra HPV para meninos também é usada nos Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá. A inclusão dos meninos na vacinação contra HPV segue a recomendação de sociedades médicas brasileiras como a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Sociedade Brasileira de Pediatria.
 
A faixa etária dos meninos que podem receber a vacina será ampliada gradualmente até 2020, quando ela estará disponível para meninos de 9 a 13 anos.
 
Outra mudança é que, a partir de 2017, meninas que chegaram aos 14 anos sem a vacina também poderão se vacinar. A vacinação também será estendida a homens que vivem com HIV entre 9 e 26 anos. Antes, só as mulheres com HIV desta faixa etária podiam se vacinar gratuitamente. No caso desse público, o esquema vacinal é de três doses.
 
Também entra em vigor agora a inclusão da vacina contra meningite C para meninos e meninas de 12 a 13 anos. Até 2020, a vacina deverá estar disponível a crianças de 9 a 13 anos. Hoje, essa imunização é oferecida apenas para crianças aos 3, 5 e 12 meses de idade. A meningite C é o subtipo mais frequente da doença, que é considerada grave e de rápida evolução.
 
Confira as mudanças da vacinação em 2017
 
HPV: como era antes?
 
-2 doses com intervalo de 6 meses para meninas de 9 a 13 anos
 
-3 doses com intervalo de dois e seis meses para mulheres com HIV entre 9 e 26 anos
 
HPV: como é agora?
 
-2 doses com intervalo de 6 meses para meninas de 9 a 14 anos
 
-3 doses com intervalo de dois e seis meses para mulheres com HIV entre 9 e 26 anos
 
-2 doses com intervalo de 6 meses para meninos de 12 a 13 anos
 
-3 doses com intervalo de dois e seis meses para homens com HIV entre 9 e 26 anos
 
Meningite C: como era antes?
 
-3 doses para meninos e meninas aos 3, 5 e 12 meses de idade
 
Meningite C: como é agora?
 
-3 doses para meninos e meninas aos 3, 5 e 12 meses de idade
 
-Reforço para meninos e meninas de 12 a 13 anos
 
Confira o calendário vacinal completo para crianças, adolescentes, adultos e idosos no site da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).
 
Entenda a vacina do HPV
 
O HPV é um vírus que pode causar câncer do colo do útero e verrugas genitais. Ele é altamente contagioso, e a sua transmissão acontece principalmente pelo contato sexual.
 
A vacina distribuída no SUS é quadrivalente, ou seja, protege contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. Dois deles (o 6 e o 11), estão relacionados com o aparecimento de 90% das verrugas genitais. Os outros dois (o 16 e o 18) estão relacionados com 70% dos casos de câncer do colo do útero.
 
Além da vacina, a prevenção contra esse tipo de câncer também continua envolvendo o exame Papanicolau, que identifica possíveis lesões precursoras do câncer que, tratadas precocemente, evitam o desenvolvimento da doença.
 
Do G1
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»NA PARAÍBA! Diabéticos voltam a denunciar falta de medicamentos de responsabilidade do Estado

»BOA NOTÍCIA! Composto interrompe produção de proteína ligada ao Alzheimer

»Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos do que homens e mulheres lésbicas

»Camila denuncia falta de repasse do Governo ao Samu de Guarabira

»Edição de genoma produz porcos resistentes a vírus fatal

»Brasil tem 292 casos confirmados de febre amarela; mortes chegam a 97

»Por que a maneira como você cozinha o arroz pode ameaçar sua saúde

»Carlinhos Simões pede posto de saúde para comunidades de Pirpirituba

»Transplante de rosto dá nova chance a americano que atirou em si mesmo

»Brasil tem 80 mortes por febre amarela; 70 ocorreram em Minas Gerais

 
 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas