Publicidade
|
Paraíba

Renata Christinne toma posse como a primeira prefeita de Belém
02.01.2017 enviado às 17:01
Texto:
Renata entra para a história como a primeira prefeita eleita de Belém (Imagem: Da Net)
BELÉM (PB) - A odontóloga Renata Christinne Freitas de Souza Lima Barbosa (Doutora Renata - PMDB) foi empossada, na noite do domingo (1), na condição de a primeira prefeita da história política do município de Belém. A solenidade de posse ocorreu no ginásio O Xaviezão, na presença de um grande público e de autoridades municipais e estaduais.
 
Quem também foi empossado, além dos vereadores eleitos, foi o vice-prefeito José dos Santos (Zé Santana). 
 
Renata, esposa do ex-prefeito Roberto Flávio (PMDB), para se eleger teve de enfretar antigos aliados, a exemplo de Tarcísio Marcelo (PSD) e Edgar Gama (PSB). 
 
Após a cerimônia de posse ocorreram shows musicais para a população. Quem animou o público presente foram as bandas Bem Bolado e Vadiões do forró. 
 
Da Redação/Fato a Fato
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»Escola Unidos do Roger é a grande campeã do Carnaval Tradição de JP

»OAB-PB: prefeituras podem continuar contratando advogado sem licitação

»Água do São Francisco está a 53 km de Monteiro e depois vai para CG

»Áudio mostra Márcia Lucena negociado cargos com vereadores do Conde; prefeita fala em “cuidado”

»MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL MANDA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA REALIZAR NOVAS ELEIÇÕES

»PRIVATIZAÇÃO! Oposição na AL quer saber situação financeira da Cagepa

»Secretário desmente especulação sobre terceirização da Cagepa

»GOVERNADOR INICIA PRIVATIZAÇÃO DA CAGEPA E ESPERA APURAR R$ 1 BILHÃO, DIZ O GLOBO

»Gervásio recebe comitiva do MP e ressalta diálogo entre instituições

»INATIVOS DA PM DENUNCIAM: "NUNCA FOMOS TÃO MASSACRADOS E HUMILHADOS QUANTO PELO GOVERNADOR DA PB"

 
 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas