Publicidade
|
Policial

Figura folclórica da cidade de Cajazeiras é achada morta neste domingo
01.01.2017 enviado às 11:58
Texto:
CAJAZEIRAS (PB) - Um homem foi encontrado morto na manhã deste domingo (1), na Feira da Fruta, localizada na Praça Coronel Matos, Centro de Cajazeiras. A informação foi confirmada pelo 6º Batalhão de Polícia Militar.
 
A PM foi acionada por moradores, dando conta que uma pessoa estava morta no local.
 
Segundo informações de testemunhas, o homem é popularmente conhecido por Bosquim, reconhecido na cidade pelos jargões “E o progresso continua com Zerinho” e “Preste Atenção”.
 
O corpo do homem foi encaminhado para o IML.
 
Do MaisPB com Diário do Sertão
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»Funcionários do Detran cobram prisão do suspeito de matar agente; enterro será nesta segunda-feira

»Homem é morto com facada no peito na cidade de Solânea; Vítima tinha passagem pela polícia

»Juíza decreta prisão do acusado de atropelar agente de trânsito em JP

»Polícia Militar entra em Alcaçuz para erguer muro de contêineres e separar presos

»Dupla invade hospital e rouba celulares de pacientes e funcionários, na Paraíba

»Policia apreende arma e drogas após troca de tiros no bairro 13 de maio

»Empresária é presa suspeita de golpe de R$ 100 mil em pacotes turísticos, em João Pessoa

»Operação prende quadrilha especializada em roubos de gado, residências e motos

»Polícia Civil identifica cadáver encontrado esquartejado nesta quarta-feira em Guarabira

»Corpo de Bombeiros resgata quatro corpos de trabalhadores que morreram em poço no Cariri

 
 
 
Editorial do dia

A escolha dos sucessores

O STF não terá que decidir apenas o futuro da Lava Jato, mas nesta semana deve se pronunciar sobre a sucessão na Câmara dos Deputados, onde três candidatos disputam a cobiçada posição de 2° na linha sucessória da Presidência da República. Ao eleger seu novo Presidente, o Senado também estará indicando o 3° nessa ordem, mas sem confronto.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Santos
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Profº Jorge Lucena
Programa a Visão do Brasil
Mais Lidas