Publicidade
|
Brasil

Mulher de embaixador grego confessa participação em crime; Polícia pede prisão da embaixatriz
30.12.2016 enviado às 19:50
Texto:
Mulher de embaixador é suspeita do crime (Imagem: Da Net)
RIO DE JANEIRO (RJ) - Françoise Amiridis, mulher do embaixador da Grécia no Brasil, Kyriakos Amiridis, confessou a participação na morte do marido. O corpo de Kryakos foi achado carbonizado dentro de um carro incendiado na última quinta-feira em Nova Iguaçu (RJ), após ele ter sido dado como desaparecido desde a noite do dia 26. 
 
A polícia pediu a prisão de Françoise e do soldado da PM Sérgio Gomes Moreira Filho, e Eduardo Tedeschi, um amigo seu, e Sérgio Moreira, primo do PM. Françoise e Sergio, que tem 29 anos e é lotado na UPP do Morro do Fallet, confessaram manter uma relação extraconjugal, segundo investigadores. 
 
O site de VEJA apurou que a trama para matar o embaixador grego começou a partir do dia 22, quando ele e a mulher tiveram uma briga dentro de casa. Ela teria sido agredida e decidido se vingar. “A partir daí ela contou para o PM, que era amante dela, e eles tramaram o crime”, explica um investigador.
 
A polícia acredita que Kyriakos foi assassinado na sala de sua casa, a facadas. A suspeita se baseia em manchas de sangue encontradas no móvel, e na ausência de relatos de disparo de arma de fogo. 
 
Em depoimento prestado na tarde desta quinta-feira, a mulher do embaixador havia contado que o marido estava em casa e decidiu sair sem dizer para onde ia na última segunda-feira. O casal morava em Brasília e estava passando férias em Nova Iguaçu. Cônsul-geral da Grécia no Rio de 2001 a 2004, Amiridis assumiu o posto de embaixador da Grécia no Brasil há um ano.
 
De Isto É Online
Compartilhe:
 
Comentários

Notícias Relacionadas

»Acadêmicos do Tatuapé é a campeã do carnaval 2017 de SP

»Acidente em carro da Escola de Samba Unidos da Tijuca deixa 12 feridos no Rio de Janeiro

»Há espetacularização e arbitrariedades na Lava Jato, diz Nelson Jobim

»Mulher ferida em acidente na Sapucaí respira por aparelhos

»Acidente grave deixa feridos no desfile da Paraíso do Tuiuti

»Caetano participa de show no pelourinho e público puxa fora Temer

»Ministro do Supremo Tribunal Federal manda soltar goleiro Bruno

»Câmara denuncia violação dos Direitos Humanos de Lula à ONU

»Yunes afirma que Temer sabia que ele foi usado por Padilha como mula

»Ex-presidente da República pede que STJ afaste Sérgio Moro de seu processo na Lava-Jato

 
 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas