Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Entrevista
Nicolelis ao 247: o Brasil está nas mãos de uma máfia
31.05.2016 enviado às 09:26
Texto:
Miguel Nicolelis, mais importante cientista do Brasil (Imagem: Da Net)
SÃO PAULO (SP) - O cientista mais importante do Brasil, Miguel Nicolelis, avalia, em entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, que o presidente interino Michel Temer é um fantoche nas mãos de dois grupos: "a ala de gângsters que quer escapar da Lava Lato" e ainda "o grupo que pretende destruir a soberania nacional"; ele diz que a ciência brasileira está ameaçada e critica duramente as medidas que estão sendo tomadas por um governo provisório, que vão na direção contrária ao que a população escolheu nas urnas; “um governo que era para ser interino, num período de transição, não poderia estar tomando a magnitude das decisões que está tomando sem ter uma legitimidade eleitoral”;
 
Considerado um dos vinte cientistas mais importantes do mundo, Miguel Nicolelis é o cientista brasileiro número um. Detentor de um sem número de prêmios internacionais e autor de trabalhos publicados nas principais revistas científicas internacionais, membro da Academia de Ciência da França e da Academia de Ciência do Vaticano ele concebeu um mecanismo revolucionário através do qual um paraplégico é capaz de se movimentar com a força do seu pensamento, o que o tornou no brasileiro com mais chances de receber, nos próximos anos, um Prêmio Nobel.
 
Nessa entrevista exclusiva ao 247, concedida em São Paulo, pouco antes de embarcar para os Estados Unidos onde dirige um laboratório de Neurologia na Universidade de Duke ele afirma que a situação do pais “é assustadora” e que “um governo que era para ser interino, num período de transição, não poderia estar tomando a magnitude das decisões que está tomando sem ter uma legitimidade eleitoral”.
 
Diz, também que nem ele nem ninguém sabe qual será o futuro do Instituto Internacional de Neurologia que dirige em Natal nem o que vai acontecer daqui para a frente com a ciência no Brasil que ganhou impulso inédito nos últimos 12 anos.
 
Para ele, há dois grupos envolvidos no golpe: “uma classe de gangsters que quer escapar da cadeia, e outra que tem uma agenda de destruição da soberania nacional”.  “O Brasil está nas mãos de uma máfia”, adverte. Considera Michel Temer não um líder de massas, mas um “fantoche local”, incapaz de fazer um discurso em praça pública, mas não acredita que ele tenha sido espião americano, como aventou o wikileaks: “É muito medíocre para ser arregimentado por uma potência”.
 
ACOMPANHE A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:
 
BRASIL 247 - O que você está achando disso tudo que está acontecendo no Brasil? Eu vi uma foto hoje que eu fiquei chocado. Sabe qual foi a primeira pessoa que o novo ministro da Educação recebeu?
NICOLELIS - Eu vi…
 
BRASIL 247 - O que é isso? O que está acontecendo aqui? Você consegue entender?
NICOLELIS - Evidentemente que eu não tenho uma bola de cristal para saber… mas que é surreal, é surreal. É muito assustador. Veja bem, todo aquele protesto contra o governo que estava legitimamente eleito para desembocar nisso e as pessoas parece que ainda não se deram conta no que desembocou.
 
BRASIL 247 - Eu ouvi ontem o Michel Temer. Ele usa umas expressões que eu nunca ouvi antes… “ao depois”, por exemplo…
NICOLELIS - Ele adora uma mesóclise…eu não sei o que é isso, de onde ele tira isso daí…
 
BRASIL 247 - Que cérebro é esse?
NICOLELIS - Eu não estou nem preocupado com o português dele… eu estou preocupado é com a sanha… um governo que era para ser interino, num período de transição, não poderia estar tomando as decisões, a magnitude das decisões que eles estão tomando sem ter uma legitimidade eleitoral. Eles estão desmontando o país, com uma sanha neoliberal, tentando impingir ao Brasil uma agenda que foi rejeitada em quatro eleições presidenciais.
 
BRASIL 247 - Não é nem neoliberal, é a agenda da direita mais retrógrada…
NICOLELIS - Meu receio é que existem dois golpes misturados um com o outro. O golpe de uma classe de gangsters que está tentando escapar da cadeia, que é o primeiro nível do golpe, representado principalmente por setores do PMDB, mas tem o segundo bloco, que tem basicamente uma agenda de destruição da soberania nacional. Com a entrega não só de recursos naturais e de “assets” do estado, mas o total desmantelamento da indústria, da ciência, da educação, de tal maneira que o Brasil se perpetue como um estado vassalo. Eu acho que são dois blocos misturados e a briga intestina que nós estamos vendo na imprensa e nesses vazamentos todos é porque existem facções uma brigando com a outra.
 
BRASIL 247 - Essas gravações que estão aparecendo mostram um mundo caótico…
NICOLELIS - E ninguém sabe quem vaza, porque vaza, qual a razão, de onde vem, quais são as agendas que estão escondidas…
 
BRASIL 247 - Você acha que uma situação como essa pode durar?
NICOLELIS - Não, acho que a instabilidade é muito grande. E quando você vê as declarações você tem vários níveis de envolvimento aí que geram, que estão começando a gerar uma insatisfação que não vai ser mantida dentro dos palácios e das instituições. As pessoas comuns estão começando a se revoltar a um nível que há muito tempo não se via aqui. Porque ninguém mais confia em nada. As últimas revelações desses grampos são assustadoras. Fazem você ter uma visão dos bastidores dessas instituições, que eu acho que ninguém imaginava que pudesse ser tão baixo.
 
BRASIL 247 - O que se depreende dos grampos é que o Renan é o dono da cocada preta…ele sabe da Dilma, do Lula, manda o Temer ficar calado…e ele é um cara que já renunciou ao Senado em 2008…
NICOLELIS - Ah, o Renan já renunciou ao Senado?
 
BRASIL 247 - Sim, foi aquele escândalo denunciado pela ex-amante dele… quem pagava as contas dela era uma empreiteira e ele inventou que o dinheiro vinha de gado que ele vendeu…
NICOLELIS - Eu não me lembrava disso,… eu estava fora do Brasil…
 
BRASIL 247 - O caso Mônica Velloso…
NICOLELIS - Ah, agora lembrei…
 
BRASIL 247 - Ele responde ainda a esses processos no STF…
NICOLELIS - E esse é o presidente do Senado, para você ter uma ideia…
 
BRASIL 247 - E é o substituto eventual do presidente provisório…
NICOLELIS - E o que mais me assustou, na minha opinião, foram os comentários feitos ao Supremo…é a primeira vez, eu acho, que na história de crises da política brasileira que o nome do Supremo é jogado no meio disso tudo. E o Supremo está calado. Ele não se manifesta. É assustador. E se a declaração que foi atribuída a Dilma for verdadeira, de que o presidente do Supremo foi lá só para conversar sobre aumento é assustador.
 
BRASIL 247 - E são assustadores os comentários…”o Supremo é uma merda”… parece jogador de futebol falando do adversário, ou pior…
NICOLELIS - É um linguajar chulo… é um comportamento de gangster… a sensação que dá é que o Brasil nesse instante está nas mãos de uma gang mesmo… de uma máfia… e essa máfia conseguiu perpetuar o golpe por interesses próprios, mundanos de se livrar das acusações… mas tem alguém que está querendo aproveitar o golpe para outros fins… que são setores do PSDB, claramente, alinhados com interesses estrangeiros que a gente nem sabe quais são ainda, tentando desmantelar tudo o que foi construído no sentido de fazer o Brasil ser um protagonista no mundo.
 
BRASIL 247 - Você consegue entender o papel do Serra, que é um expoente desse setor?
NICOLELIS - Eu não consigo entender… nunca entendi, mas sempre combati… ele é uma das pessoas mais danosas da política brasileira… não gosto nem de me referir a ele…
 
BRASIL 247 - Qual é a relação dele com a frenologia?
NICOLELIS - Hahaha… eu não acredito na frenologia, então não posso…traçar essa correlação. Não posso traçar, não.
 
BRASIL 247 - Depois que ele foi atingido na cabeça por aquela bolinha de papel ele degringolou…
NICOLELIS - Ah, sim… ele se internou… mas bola de papel não gera trauma craniano…
 
BRASIL 247 - Você acha que aquilo afetou os neurônios dele?
NICOLELIS - Aquilo foi uma das coisas mais lamentáveis possíveis. Eu conto, inclusive uma história, no meu novo livro, que quando eu escrevi um artigo no “Viomundo”, durante a campanha presidencial de 2010, que foi muito comentado falando, né, que como é que uma eleição presidencial ficava reduzida a debates religiosos, o Serra tentando imputar a Dilma coisas que ela não falava sobre o aborto e tal… esse artigo alguém aqui do Brasil… eu tinha acabado de ser eleito para a Academia de Ciência da França e logo depois para a Academia de Ciência do Vaticano, uma surpresa, porque eu não sou cató0lico, não sou religioso, né…e, impressionantemente, esse artigo foi traduzido daqui do Brasil para o inglês, pro italiano e foi enviado para sites da extrema direita católica americana e italiana que não só organizaram ataques nos Estados Unidos contra mim por causa desse artigo… foram 30 mil sites religiosos que começaram a me atacar achando que eu estava defendendo o aborto, coisas assim, e eu não estava falando nada disso…e eu recebi uma visita da inquisição porque esses católicos de direita foram me visitar  lá na Universidade de Duke querendo saber se eu tinha escrito mesmo esse barato, porque não era compatível com a fé cristã, coisa que eu nunca professei, né…e aí queriam que eu renunciasse à Academia do Vaticano, o que eu não fiz…eu falei: “se vocês me elegeram agora vocês têm que me aguentar, vocês sabiam quem vocês estavam elegendo, uma vez que o papa fala, o papa falou” e eu fiquei, desde então… desde 2010 eu estou no limbo…e isso aqui prova o grau de ódio das pessoas…
 
BRASIL 247 - Tem isso também nos Estados Unidos?
NICOLELIS - Tem. Não, eles ligaram… foi um brasileiro que fez a conexão com esse pessoal…
 
BRASIL 247 - E esses evangélicos no Brasil? Agora eles têm um ministério.
NICOLELIS - Esse é que é o problema.
 
BRASIL 247 - E o ministério da Ciência e da Tecnologia que agora fundiram com Comunicações? O que você achou?
NICOLELIS - Ninguém sabe de nada. É uma perfeita incógnita. Está todo mundo sem ter a menor noção…os cientistas… a Unicamp está em greve…mas, de modo geral os cientistas não estão se manifestando… É uma coisa estranha que acontece aqui no Brasil, não sei o que é…
 
BRASIL 247 - O que tem a ver Ciência com Comunicações?
NICOLELIS - Não tem nada a ver e evidentemente isso não leva a nada… o Brasil teve um desenvolvimento espetacular nos últimos doze anos, eu também publiquei no meu livro a figura dos recursos da ciência desde 2003 até 2013, que foi um crescimento histórico, e vários programas históricos, institutos nacionais de ciências, ciência sem fronteira, que não existiam, mudaram o perfil da ciência brasileira. Mas agora estão todos ameaçados.
 
BRASIL 247 - Como é que vai ficar o teu instituto em Natal?
NICOLELIS - Ah, ninguém sabe, ninguém tem a menor ideia. Nós estamos nesse momento sem ter a menor noção do que o futuro vai ser.
 
BRASIL 247 - Eu não estou acreditando…
NICOLELIS - É uma insegurança completa… é como se fosse um flashback do passado…
 
BRASIL 247 - É pior… eles são piores que os militares…
NICOLELIS - Sim…
 
BRASIL 247 - Porque naquela época tinha gente de direita culta…
NICOLELIS - Sim…
 
BRASIL 247 - Hoje, não; é uma direita inculta e bárbara…é uma escória disposta a queimar livro e tudo o mais.
NICOLELIS - Exatamente…
 
BRASIL 247 - Quando eu vi o ministro da Educação recebendo em audiência oficial o Alexandre Frota…que é um jogador de futebol americano e ator de filmes pornô…
NICOLELIS - É realmente uma coisa meio medieval… Estamos vendo um troço que parece meio medieval…
 
BRASIL 247 - É uma caça às bruxas…
NICOLELIS - São coisas que eu nunca imaginei ver no Brasil de novo.
 
BRASIL 247 - E a Dilma parece que está numa prisão domiciliar.
NICOLELIS - Bom, eu não sei, porque ela está certamente com um esquema de segurança necessário com a rigidez que está. Ela está entrando e saindo.
 
BRASIL 247 - Mas quem entra e quem sai do Alvorada é controlado pela segurança do Temer e não pela segurança dela…
NICOLELIS - É controlado… exatamente…
 
BRASIL 247 - Parece que o Sergio Etchegoyen foi escalado para isso: para vigiar a Dilma.
NICOLELIS - Essa é outra indicação que ninguém entendeu nada.
 
BRASIL 247 - Vigiar a Dilma, vigiar os movimentos sociais…
NICOLELIS - O Temer tem grande receio que ela se encontre com os senadores, porque ela pode … o curioso, como disse a imprensa internacional é que o Brasil é um país tão surreal que a presidente afastada supostamente por alguma irregularidade é recebida por milhares de pessoas ovacionando o nome dela e o presidente interino não consegue sair de casa.
 
BRASIL 247 - Você viu ele dizendo ontem que ele sabe governar porque já tratou com bandidos?
NICOLELIS - É… isso é incrível. O que que ele quer dizer com isso?
 
BRASIL 247 - Pois é. “Eu tratava com bandidos. Então eu sei governar”.
NICOLELIS - O problema é que a gente não sabe a que classe de bandidos ele está se referindo. Se são os amigos dele…
 
BRASIL 247 - Pois é… quem são esses bandidos? É tudo muito estranho.
NICOLELIS - O que é mais difícil entender é o fato de que todo país passa por recessão econômica, todos os governos cometem erros que têm que ser corrigidos ao longo do tempo, agora, logo na primeira recessão que o Brasil passou depois do melhor período de desenvolvimento da história do país a facilidade com que os meios de comunicação lavaram a mente das pessoas para que elas esquecessem tudo o que aconteceu de bom…
 
BRASIL 247 - É impressionante…
NICOLELIS - É impressionante… é assustador… mostra claramente que a educação brasileira está muito longe de atingir o seu objetivo. Você não consegue ter realmente um país democrático se as pessoas podem ser manipuladas tão facilmente por três ou quatro veículos de informação, que deixaram de ser de informação há muito tempo, que são veículos de propaganda política.
 
BRASIL 247 - Principalmente a Globo, porque a Globo convocava as pessoas para irem às ruas…
NICOLELIS - Ela está começando a ter um “blowback”, não só aqui dentro do Brasil, mas lá fora, porque escancarou claramente para o mundo quem domina a informação no Brasil e qual tipo de domínio é. Isso está fazendo uma diferença brutal neste momento.
 
BRASIL 247 - É um monopólio trágico!
NICOLELIS - Monopólio de informação já é antidemocrático no momento atual por definição.
 
BRASIL 247 - É o Big Brother!
NICOLELIS - É. Exatamente.
 
BRASIL 247 - É o Big Brother real. “Façam isso agora”! “Vão para as ruas de verde-e-amarelo”!
NICOLELIS - Isso é outra coisa muito triste, porque os símbolos nacionais foram sequestrados. O Hino Nacional… as cores do Brasil… eu tinha um avatar no twitter com a camisa da seleção de muitos anos atrás, de antes da Copa e eu removi, porque eu não queria ser confundido com o simbolismo que foi dado.
 
BRASIL 247 - Exatamente como no regime militar…
NICOLELIS - Realmente mudou completamente o espírito do uso desses símbolos, por isso eu acho que nós temos que resgatá-los… a gente não pode permitir que eles sejam sequestrados dessa maneira pela extrema-direita. O problema é que você não tem no Brasil, o que é muito perigoso, você não tem um espaço de diálogo, as pessoas não estão abertas a debater racionalmente. Se você começa a defender as políticas governamentais do PT, por definição você está defendendo o PT, defendendo os “bandidos”… então, não tem espaço. É uma radicalização que está acontecendo também nos Estados Unidos, mas que eu vejo ela muito mais danosa e perigosa aqui.
 
BRASIL 247 - É porque lá parece existir uma noção de democracia.
NICOLELIS - Mais ou menos… existe, mas o americano médio tem um pouco mais de apego ao país…lá não existe o complexo de vira-lata que existe aqui, onde tudo não presta…a gente sentiu muito isso na época da Copa do Mundo…a gente fazendo um esforço medonho para fazer tudo funcionar e a gente foi tratado como bicho…
 
BRASIL 247 - O que aconteceu? Era para o paraplégico dar o pontapé inicial da Copa, mas ele ficou ali na lateral do campo…
NICOLELIS - Nós fomos varridos junto pelo furacão… nada podia funcionar na Copa do Mundo…a imprensa de São Paulo começou a atacar o governo, e quando viu que o nosso projeto poderia dar algum tipo de suporte à Copa do Mundo, como deu, fora do Brasil, porque foi muito bem recebido fora do Brasil e também no Brasil, fora de São Paulo… Nós tínhamos planejado tudo para ter três a cinco minutos, fazer um troço super anunciado… a pessoa ia parar a cerimônia e anunciar no alto-falante… Mas à medida que o tempo foi caminhando e a demonstração foi ganhando corpo e noticiário internacional, a imprensa aqui de São Paulo começou a nos atacar e a Fifa começou a tentar tirar o destaque…a ponto de… eles tinham me convidado inicialmente para ir à conferência de imprensa alguns dias antes da Copa do Mundo, para contar ao mundo o que iria acontecer na abertura e no final das contas eu fui desconvidado, não me avisaram da conferência de imprensa. Mas a questão foi a seguinte: não só nós fizemos, foi notícia no mundo inteiro, os pacientes continuaram a trabalhar com a gente, há dois anos já e eles estão melhorando, estão tendo melhora neurológica, ou seja, estamos publicando trabalhos sobre isso, o projeto foi um sucesso, só que aqui tudo é razão para achincalhamento…tem um grupo de pessoas aqui cuja ignorância é total. Então, as pessoas não têm a menor noção do que é uma pessoa com dois terços do corpo paralisado ficar lá de pé e usando o cérebro para controlar uma máquina que nunca tinha sido construída, que foi construída em dezoito meses, para dar o chute e sentir a bola que é algo que um paraplégico não consegue fazer. Então, é muito duro fazer essas coisas no Brasil porque existe um número muito grande de pessoas que trata tudo com achincalhamento…com falta de cuidado… como se fosse torcida de futebol, sabe? As pessoas não têm o menor… é difícil até de dizer… é uma ignorância muito grande! E tinha cientistas do mundo inteiro aqui. Vieram trabalhar de graça pelo projeto, pelo Brasil. Eu estou há dois anos viajando pelo mundo inteiro, contando essa história e que eu conto um pouco no livro e vou contar num outro livro que eu estou escrevendo só sobre a Copa do Mundo para mostrar ao mundo inteiro o que foi a loucura, o trabalho e também a pressão a que a gente foi submetido aqui por gente que… Folha de S. Paulo, Estado de S.Paulo, Veja não entendem nada de ciência e se autodenominam críticos de ciência sem nunca ter feito um experimento na vida. Mas o grau é muito baixo, esse é o problema. Ninguém nota os prêmios internacionais que a gente ganhou por causa do projeto. Só falam as besteiras típicas de gente extremamente ignorante. É o preço que se paga…
 
BRASIL 247 - Escuta… a cabeça de um cara de direita é diferente da de um cara de esquerda? Você já se debruçou sobre isso?
NICOLELIS - Não, eu nunca estudei, nunca fiz esse tipo de estudo e acho que nunca ninguém fez, não acredito que exista nada…não dá para dizer nada…
 
BRASIL 247 - Às vezes as pessoas são de direita sem saber…
NICOLELIS - O problema grave é a total ignorância histórica de ler notícias com uma visão crítica. As pessoas estão se transformando em replicadoras de notícias veiculadas na imprensa sem se preocupar em checar se as notícias são verdadeiras, uma vez que a gente não pode mais confiar na imprensa local. As pessoas não têm mais espírito crítico, isso é que não está sendo ensinado. É muito fácil enganar qualquer pessoa, porque qualquer coisa falada na imprensa é assumida como verdade. Não tem direito de defesa, não tem nada. Nós estamos vendo a pulverização do direito de defesa no Brasil.
 
BRASIL 247 - Nesse momento, por exemplo, a Dilma é ignorada pela imprensa local.
NICOLELIS - A grande imprensa não dá espaço nenhum para ela.
 
BRASIL 247 - É como se ela não existisse mais…
NICOLELIS - Em qualquer lugar do mundo, nas condições atuais, ela teria voz.
 
BRASIL 247 - Claro, ela é a presidente legitima.
NICOLELIS - Ela é a presidente, exato, então a visão dela e a versão dela teriam que ser ouvidas continuamente. Mas ela foi completamente removida do noticiário. E o curioso é que cada vez mais isso está mostrando para as pessoas que não há como acreditar no noticiário. E a credibilidade dos meios de comunicação está sendo destruída, lentamente, pelas mãos deles mesmos.
 
BRASIL 247 - Fora a destruição das lideranças que está havendo. Não existe líder de coisa alguma. Você acha que o Michel Temer é um líder?
NICOLELIS - Claro que não, imagina! Líder que usa mesóclise no século XXI! Ele me lembra o Jânio.  Mas o Jânio era muito mais inteligente, mais esperto, muito melhor manipulador das massas. Ele só lembra o Jânio por causa da mesóclise.
 
BRASIL 247 - Ele é incapaz de dar um abraço em alguém do povo…
NICOLELIS - Não, ele é incapaz de fazer um discurso numa praça com milhares de pessoas… então ele não tem representatividade. Mas ele é só um fantoche mesmo. Quem está por trás dele é que está mandando…
 
BRASIL 247 - Mas quem é que está por trás dele?
NICOLELIS - Ah, essa é a pergunta de 1 milhão de dólares! Essa ninguém sabe responder.
 
BRASIL 247 - Circulou uma especulação do wikileaks de que ele foi espião americano…
NICOLELIS - É, mas não acredito que seja por aí, não. Acho que ele é um fantoche local. Existem outros fantoches que são agentes de outros interesses internacionais. Mas ele é um fantoche local, na minha opinião.  Ele é muito pequeno para qualquer potência estrangeira investir nele.
 
BRASIL 247 - Pequeno em todos os sentidos…
NICOLELIS - Os caras lá fora são espertos…não vão arregimentar um cara tão medíocre como ele.
 
Por Alex Solnik (Brasil 247)
Compartilhe:
 
Confira também:

»Hélder Barbalho diz que PMDB tem o papel histórico de garantir a travessia

»Infectologista mineiro diz que as epidemias estão dando de 7 x 1 no Brasil

»Maranhão minimiza força de Lira e diz que se for convocado pode disputar Governo

»Construir presídios não é a solução, diz ministro do STF Gilmar Mendes

»ENTREVISTA! Rodrigo Janot luta para aprovar propostas contra corrupção

»Barbosa diz que impeachment foi uma encenação e Temer corre risco de não se manter

 
 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas