Publicidade
|
Empreendedor
Christiane Pelajo sai do JG e diz por que vai para a Globo News
13.02.2016 enviado às 18:37
Texto:
Jornalista Christiane Pelajo, agora na Globo News (Imagem: Folha Online)
SÃO PAULO (SP) - O ESPAÇO EMPREENDEDOR desta edição publica entrevista com a jornalista Christiane Pelajo. A profissional, que devidia bancada do Jornal da Globo com William Waack, revela os motivos que a levaram deixar o telejornal da madrugada e ingressar num projeto novo, na Globo News.
 
“Tô com um jornal meu de uma hora e meia, quem não quer isso?”
 
Christiane Pelajo, que deixou a apresentação do “Jornal da Globo” em outubro, após dez anos, prepara sua volta à TV no dia 29.
 
A jornalista estará à frente de um telejornal das 16h às 17h30 na GloboNews, onde iniciou sua carreira.
 
A atração não terá bancada, e ela promete usar muito pouco o teleprompter para ler as notícias.
 
ENTREVISTA
 
LÍGIA MESQUITA - Como será o novo jornal?
PELAJO - Vamos tentar fazer um jornal mais moderno, mais jovem, mais ousado, com a minha cara e falando de todos os assuntos. Teremos personagens reais das notícias no estúdio. Se falarmos de desemprego, haverá um desempregado para comentar. A ideia é ser dinâmico,
ter muito ao vivo. O Brasil está acontecendo nesse horário. Também farei reportagens. E teremos a coluna Lupa, de checagem de informação, feita pela Cristina Tardáguila.
Se um político, por exemplo, disser que inaugurou tantas creches, vamos ver se é verdade.
 
LM - Como vê a volta para a TV por assinatura?
PELAJO - De maneira positiva, acho que dá para ousar mais. Não vejo demérito, pelo contrário. Tô com um jornal meu de uma hora e meia, quem não quer isso?
 
LM - Por que decidiu sair do “Jornal da Globo”?
PELAJO - Fiquei dez anos e meio dormindo às 4h da manhã. É um jornal maravilhoso, em um horário supernobre, mas após tantos anos precisava ter vida pessoal. Meu casamento era de fim de semana.
 
LM - Você saiu sem se despedir, no meio da semana. Por quê?
PELAJO - Estava fazendo uma série de reportagens, queria me dedicar a ela. Aí iria entrar na bancada, me despedir e depois apareceria no ar? Ficaria estranho. E não podia falar que ia para a GloboNews. Mas entendo que ficou estranho, que as pessoas pensem [que aconteceu algo].
 
LM - Disseram que você teria brigado com o William Waack…
PELAJO - Não tenho nenhum problema com ele, é uma das pessoas que mais entendem de geopolítica, aprendi para burro com ele. Falaram que briguei com meu editor, que é meu amigo. Vai ver sou a pessoa mais difícil do mundo (risos)! Tô tranquila, eu sei a verdade.
 
LM - Pensou em migrar para o entretenimento?
PELAJO - Não! Sou viciada em notícia, não tenho vontade de ir para o entretenimento.
 
Por Lígia Mesquita (Folha de São Paulo)
Compartilhe:
 
Confira também:

»Serra diz que antes de discutir 2018 se precisa reconstruir o País

»ENTREVISTA! “Vivemos a Era do pesadelo, não dos sonhos”, diz Augusto Cury

»Entre o Oscar e a política, Julia Lemmertz fecha os olhos para as fofocas

»EXCLUSIVO! Renato Toscano atribui vitória a Deus: “A palavra me motivou”

»“O sistema tributário se tornou totalmente disfuncional”, diz economista

»Promotora americana fala do momento difícil vivido pelo Brasil

 
 
 
Editorial do dia

A escolha dos sucessores

O STF não terá que decidir apenas o futuro da Lava Jato, mas nesta semana deve se pronunciar sobre a sucessão na Câmara dos Deputados, onde três candidatos disputam a cobiçada posição de 2° na linha sucessória da Presidência da República. Ao eleger seu novo Presidente, o Senado também estará indicando o 3° nessa ordem, mas sem confronto.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Santos
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Profº Jorge Lucena
Programa a Visão do Brasil
Mais Lidas