Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Editorial
Impossível não reclamar
08.01.2017 enviado às 13:10
Texto:

Caríssimo leitor;
 
Sem os impostos, ao invés de R$ 299,99, uma bicicleta custaria R$ 162,20. O tablet nacional de R$ 1.278,68 cairia para R$ 778,46. Um skate custaria menos da metade e o microondas de R$ 769,00, sem os 59,3% de tributos, poderia ser adquirido por R$ 312,98.
 
Veja quanto de impostos estão embutidos nos preços de produtos: creme de barbear, 57,05%; desodorantes, 37,37%: escova de dente, 34%; fralda descartável, 34,21%; shampoo, 44,2%; sabonete, 31.13%; sabão em pó, 40,8%; açúcar, 30,6%; biscoito, 37,3%; gasolina 57%.
 
Nós, brasileiros, pagamos de impostos em 2016 o equivalente a 153 dias de trabalho. Ou seja, de janeiro a maio e mais o 1° dia de junho,trabalhamos apenas para pagar tributos.
 
Não é sem razão a forte reação do presidente estadual do PSDB, contra o aumento dos impostos estaduais – o governador Ricardo Coutinho elevou ICMS, ITCD, IPVA e Funcep, além das taxas do Detran – e contra o reajuste de 12,38% na conta de água, anunciado após o ano novo. Ele disse que o partido irá à Justiça “em defesa da sociedade”.
 
Palavras de Ruy Carneiro: “Em todo o País estamos vendo os gestores adotando medidas criativas, inovadoras, ou pelo menos reduzindo os custos com comissionados e definindo prioridades como forma de chegar ao equilíbrio fiscal. Mas para o governador da Paraíba o método é dar uma canetada e aumentar impostos, o que penaliza mais aqueles que ganham menos e mais precisam do poder público”.
 
De janeiro de 2011- quando Ricardo Coutinho tomou posse - a novembro de 2016, a inflação somou 48,98%, mas a receita do Estado subiu 80%, uma diferença de 31 pontos percentuais. E o resultado infelizmente não foi consequência do crescimento da economia, mas principalmente do aumento de impostos, que só foram comunicados à sociedade após aprovados.
 
Para os impostos não subirem, o governo precisaria reduzir gastos. Mas em dezembro, apesar da receita extra da repatriação, a Paraíba continuou gastando com pessoal acima do limite máximo da Lei, que é de 60% da receita. Atingiu 61,59%, e por isso continuará sem poder receber aval da União para empréstimos. E janeiro começa com Ricardo já aumentando a conta de água em 12,38%, o dobro da inflação de 2016.
 
Do jeito de Ricardo, não faltará dinheiro para o Estado, mas o cidadão não poderá dizer o mesmo.
 
Por Lena Guimarães (jornalista, colunista do Portal Correio)

Compartilhe:
 
Comentários
Confira também:

»Saída de Padilha resolve problema do governo

»Sob fogo da Lava Jato

»Com prorrogação no STF, jogo empata no TJ e leva eleição aos pênaltis

»Estilo Neide de Teotônio

»Recado mais que direto

»O destino da Cagepa

»Foro privilegiado

»As asas do poder

»Jadinho e a repulsa aos deputados federais votados em GBA

»Olhos em 2018

»Respeito ao diálogo

»As opções da Oposição e o desempenho ascendente de Luciano Cartaxo

»Aonde vamos chegar? (Era Tramp)

»Temer erra ao indicar pessoa tão próxima a ele e ao PSDB

»A alternativa

»Pra fazer história

»Luciano Cartaxo ‘emburacando’ no vácuo

 
 
Editorial do dia

Saída de Padilha resolve problema do governo

Osmar Serraglio não foi uma má escolha para o ministério da Justiça. O presidente Temer teve que se render ao PMDB e escolheu uma pessoa que não é marcada pela cumplicidade e por isso mesmo não agradou a uma ala do partido.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas