Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Colunista


Profº Jorge Lucena
Licenciado em Matemática e especialista em Educação Matemática Básica pela UEPB, leciona Matemática, Ciência e Geografia no Centro Educacional Dom Helder Câmara (Guarabira-PB) e ensina Matemática e História na Escola Djalma Marinho em Nova Cruz (RN). O colunista tem no ar o blog INFORNATUS com artigos autorais, informações e entretenimento.
Os Vereadores e os Aproveitadores
19.12.2016 enviado às 01:17
Texto:

Essa é a forma que o povo campinense esta utilizando para identificar aqueles vereadores, que de forma sombria, utilizaram da calada do início da manhã do dia 14/12/2016, para votarem de forma covarde, projetos lei que elevaram os proventos da próxima legislatura em 26%, como também a implantação do décimo terceiro para os servidores daquela casa (eles próprios). Caso o nosso País como também Campina Grande, não tivesse passando por um momento crítico economicamente falando, tudo isso poderia transcorrer na mais pura normalidade. 
 
Mas diante de uma crise econômica, que se faz necessária uma verdadeira guerra parlamentar no congresso nacional, com medidas até certo ponto absurdas cassando os direitos dos trabalhadores, como as inovações na previdência social dentre outras, chega a ser uma afronta à população, votar projetos de lei que elevam para cima os proventos daqueles que se intitulam defensores do povo (vereadores), povo esse que a cada dia que passa, perdem direitos e sofrem com a falta de empregos, de recursos na saúde e na educação. Ha menos de dois dias, servidores invadiram o gabinete do prefeito no intuito de receberem salários atrasados, enquanto isso o gestor em exercício nada pôde fazer, pois a falta de recursos, segundo ele era evidente e tais proventos não poderiam ser pagos ainda. Além da crise hídrica que atinge a cidade beirando o colapso, tal atitude além de ridícula beira o absurdo.
 
A atual legislação permite que tal percentual seja votado de quatro em quatro anos, no entanto o atual momento econômico exige daqueles que se dizem representantes do povo, o uso de suas consciências, que além do vereador, o sentimento povo fale mais alto, e que tal legislatura seja modificada não aumentando tais proventos, mas pelo menos enquanto durar tal crise, que tais proventos sejam congelados no mínimo. Isso é possível sim, pois se tais modificações podem ser feitas nos direitos trabalhistas, reduzindo salários e modificando direitos dos trabalhadores, dos seus representantes não pode ser diferente. Isso para que o povo acredite que podemos e iremos vencer essa crise, construindo uma sociedade progressiva e sem corrupção.
 
Infelizmente não foi o que aconteceu em Campina Grande nessa última quarta feira, quando alguns daqueles que se dizem representantes do povo (vereadores), utilizaram de meios vantajosos, e sem a presença da população, para votar não somente um aumento absurdo, que fará os proventos da próxima legislatura passar de R$ 12.000,00 para acreditem, R$ 15.000,00 além de implantarem também na mesma proporção, o décimo terceiro. No entanto apesar das atitudes covardes sombrias e aproveitadoras de tais vereadores, achei louvável a atitude do atual gestor municipal que sempre se colocou contrário a tal atitude, e segundo acessória do mesmo, ira vetar tal absurdo para o gestor (ele próprio) e seus secretários, como também para o atual vice-prefeito assim que esse projeto chegue a seu gabinete.



Compartilhe:
 
Comentários
 
Confira também:

»U.P.A. “Unidade de Péssimo Atendimento” Porte III

»O S.U.S.Cateamento da Saúde Pública no Brasil

» Programa a Visão do Brasil

»Explorando Coletivamente o Turismo Paraibano

 
 
Editorial do dia

Luciano e a linha tênue de 2017 e 2018

Recém-eleito prefeito da maior cidade da Paraíba, já no primeiro turno, Luciano Cartaxo precisará exercitar toda paciência, cautela e bom senso para conviver com as obrigações com João Pessoa (que são muitas) e com os ventos naturais que sopram para uma candidatura ao Governo do Estado.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas