Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Colunista


Profº Jorge Lucena
Licenciado em Matemática e especialista em Educação Matemática Básica pela UEPB, leciona Matemática, Ciência e Geografia no Centro Educacional Dom Helder Câmara (Guarabira-PB) e ensina Matemática e História na Escola Djalma Marinho em Nova Cruz (RN). O colunista tem no ar o blog INFORNATUS com artigos autorais, informações e entretenimento.
O Maior Crime Praticado Contra o Trabalhador Brasileiro
10.11.2016 enviado às 20:39
Texto:

O momento atual por que passa toda a nação Brasileira, além de muito delicado, começa a causar muita preocupação quando analisamos a situação futura a que podemos chegar. Antes os problemas se restringiam apenas a futuros problemas econômicos, no entanto a falta de um comando sério por parte do presidente ilegítimo Michel Temer, começa a causar discórdia nos outros poderes, legislativo e judiciário, a exemplo podemos citar a enorme polêmica causada com relação às vaquejadas. 
 
Tal polêmica teve início após a decisão do supremo tribunal federal em proibir essa prática na forma de lei, no entanto o que não deve ter sido analisado por aquele júri antes de tal decisão, é que dessa prática dependiam financeiramente muitos trabalhadores espalhados por todo nordeste Brasileiro, originando dessa forma tal polêmica, e em defesa dos praticantes, a câmara federal aprovou lei nos últimos dias que torna a vaquejada patrimônio cultural do Brasil. Dessa forma fica evidente a falta de sincronia entre os poderes.
 
Essa é apenas uma das atuais polêmicas que atingem de forma irresponsável o País, por não se analisar tais medidas e suas consequências antes de torna-la lei. Como se não bastasse o presidente ilegítimo Michel Temer, lança na forma de medida econômica a PEC 241, com o objetivo de incentivar o crescimento econômico do País, no entanto o fato de congelar os salários dos servidores públicos, e permitir que os parlamentos federais, estaduais e municipais reajustem os próprios salários para cima, além de causar um enorme desconforto a população por tal irresponsabilidade, deixa o trabalhador brasileiro temendo cada vez mais o seu futuro, não só na economia mas em todos os outros setores de nossa sociedade, como na saúde, educação e segurança.
 
Enquanto tudo isso acontece, um golpe maior e mais doloroso é desferido contra o servidor público e o trabalhador brasileiro, e o pior de tudo é que nem o supremo nem tão pouco os parlamentos federais, tomam qualquer atitude no sentido de frear essa covardia, seja na forma de projetos lei ou decretos, refiro-me aos atrasos de salários, o que hoje atinge vários municípios em que os atuais gestores, não lograram êxito no último pleito eleitoral de 2016. 
 
É evidente que tais verbas existem, e isso só acontece por má vontade e desprezo pela coisa pública por parte de tais gestores. Já passou da hora dos nossos representantes parlamentares através de projeto lei, ou qualquer outra forma legal, incluir em nossa constituição uma penalidade severa aos covardes gestores, que se utilizam desse expediente. Pois as atuais penalidades se existem, são brandas ou não funcionam, incentivando que tais covardias continuem sendo praticadas contra o trabalhador Brasileiro.



Compartilhe:
 
Comentários
 
Confira também:

»O S.U.S.Cateamento da Saúde Pública no Brasil

» Programa a Visão do Brasil

»Os Vereadores e os Aproveitadores

»Explorando Coletivamente o Turismo Paraibano

 
 
Editorial do dia

Foro privilegiado

Foi o STF que considerou ilegais doações empresariais em campanhas, que reconheceu a união homoafetiva como “unidade familiar”, que descriminalizou aborto nos três primeiros meses de gestação, que estabeleceu corte de ponto de servidores públicos em greve,que aprovou prisão após condenação em 2ª grau, que reconheceu dupla paternidade de filhos adotados (dos pais biológicos e afetivos), que proibiu veto a tatuados em concursos...

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Santos
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas