Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Colunista


Profº Jorge Lucena
Licenciado em Matemática e especialista em Educação Matemática Básica pela UEPB, leciona Matemática, Ciência e Geografia no Centro Educacional Dom Helder Câmara (Guarabira-PB) e ensina Matemática e História na Escola Djalma Marinho em Nova Cruz (RN). O colunista tem no ar o blog INFORNATUS com artigos autorais, informações e entretenimento.
Reativada a Indústria de Multas do Governo Federal
30.10.2016 enviado às 22:14
Texto:

Infelizmente essa conta quem vai pagar inocentemente é o cidadão trabalhador, que necessita de seu veículo para se deslocar até o seu trabalho, ou que faz de seu veículo instrumento de trabalho, que ao menor esquecimento de acionar de forma absurda um farol baixo, em plena luz do dia sob um sol escaldante de mais de 30ºc, como manda o novo projeto lei, sancionado e aprovado pelo atual presidente da república Michel Temer, Será cruelmente penalizado com uma pesada multa.
 
Por mais que especialistas e demais integrantes do governo venham a publico, afirmar que tal ação poderá evitar acidentes e melhorar a visibilidade nas BR’s , pouca credibilidade ou nenhuma nesse sentido é observada pela população. Toda essa armação do governo diante de um problema que aumenta a cada dia nas estradas, que é o aumento de acidentes, fica claro e evidente que o investimento deveria ser outro, especificamente na conscientização dos condutores de veículos, que poderia começar até mesmo reeducando toda a sociedade através das escolas, referente aos cuidados as leis e regras de trânsito. 
 
O absurdo de tal lei pode ser observado no sentido de que, em País algum, seja em que parte do mundo for tal lei nem nada parecido existe ou jamais existiu. Os motoristas espalhados pelo País, principalmente aqueles que transitam nas regiões onde a maior parte do dia é coberta de um sol escaldante, que na maioria das vezes passa dos 30ºc, sentem-se intimidados de ter que transitar nessas regiões com o farol baixo acesso, isso sem falar no alto custo de manutenção das baterias e dos sistemas elétricos dos veículos, ou será que a inocência daqueles que acreditam nesse absurdo, acham que os esquecimentos dos faróis acessos, além da sobre carga do sistema elétrico não será uma constante? 
 
No final das contas, quem sai ganhando com todo esse absurdo é o governo federal, que além do aumento no número de multas, vai acompanhar o aumento considerável das vendas dos equipamentos ligados à parte elétrica dos veículos. Podendo inclusive a depender do governo federal, aumentar a arrecadação dos impostos das fábricas ligadas a esse mercado. O motorista que bebe e dirige sem respeitar as leis e regras de trânsito, continuara cometendo as mesmas infrações, ou será que você acha que um farol baixo vai conseguir disciplinar e mudar a cabeça de um motorista irresponsável?
 
Por Jorge Lucena dos Santos (professor, articulista do Fato a Fato)



Compartilhe:
 
Comentários
 
Confira também:

»U.P.A. “Unidade de Péssimo Atendimento” Porte III

»O S.U.S.Cateamento da Saúde Pública no Brasil

» Programa a Visão do Brasil

»Os Vereadores e os Aproveitadores

 
 
Editorial do dia

Muita política, poucos resultados

Não fosse Francisco Sarmento um dos mais respeitados especialistas em recursos hídricos do País, conhecedor profundo do projeto da transposição do São Francisco do qual foi consultor, seria difícil acreditar na avaliação que fez em entrevista a Hermes de Luna, no “Debate” da TV Correio: por conta de problemas na obra, e mantido o atual ritmo de liberação, as águas só chegarão a Campina em cinco anos.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas