Publicidade
|
Galeria de Fotos Horóscopo Novelas Vídeos Email: redacao@fatoafato.com.br
Empreendedor Entrevistas Email: redacao@fatoafato.com.br
Colunista


Pr. Alexandre Rodrigues
Pastor da Sara Nossa Terra (Guarabira). Contato: pralexandre.snt@hotmail.com
Jesus é Deus?
04.04.2011 enviado às 15:33
Texto:

Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR (Dt 6.4). SENHOR é a palavra usada em substituição ao nome de Deus. O versículo deve ser lido: “Ouve, Israel, Iahew nosso Deus é o único Iahew”. Iahew por sua vez é transliterado para Jeová, Iavé ou Javé. Pois bem, se as escrituras afirmam que Jeová é o único Deus, como pode Jesus ser Deus? Para entendermos esta questão não podemos esquecer que no antigo testamento não existe a revelação da existência de um Deus filho, este era um mistério que ainda não havia sido revelado, o apóstolo Paulo em Rm 16.25 diz: “....Jesus Cristo revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos, e que agora, se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas...” No antigo testamento temos a promessa de um messias, de um servo sofredor, mas não a revelação de um Deus Filho. Setecentos anos antes de Cristo o profeta Isaías já havia profetizado sobre o sofrimento deste servo de Deus. “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens... Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelos nossos pecados; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Is 53.3-5). Com o Novo Testamento temos então a revelação deste mistério oculto. Jesus Filho unigênito e Deus verdadeiro! O apóstolo João escreve em sua primeira epístola: “Também sabemos que o filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1Jo 5.20), Paulo escreve aos Romanos: “deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo sempre”(Rm 9.5). No evangelho de João encontramos: “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou” (Jo 1.18). Em decorrência de sua deidade é que fazemos culto e adoração a Jesus Cristo, as escrituras nos ensinam que digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor. Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos (Ap 5.12-13). Adorar qualquer outro ser que não seja DEUS é desobedecê-lo e desonrá-lo, pois “não há salvação em nenhum outro; porque debaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12). Não se esqueça destas palavras: NENHUM OUTRO NOME DADO ENTRE OS HOMENS! Apenas Cristo e nenhum outro mais é capaz de salvar a sua vida! Como encontrá-lo? Rm 10.9-10 Lembra?



Compartilhe:
 
Comentários
 
Confira também:

»O Dia do Evangélico: Uma data que deve repudiar a exclusão

»Jesus o criador de Adão e Eva!

» Reencarnação ou regeneração?

 
 
Editorial do dia

A partida de Marcelo, o “dom” da serenidade

Um engasgo na hora do jantar matou ontem à noite o arcebispo emérito da Paraíba, Dom Marcelo Cavalheira, de 88 anos, aquele em quem nunca faltaram palavras para pregar o amor, a paz e a tolerância entre os homens.

Veja mais
 
Colunistas
Antonio Cavalcante
Justiça poética
Mais Lidas